segunda-feira, 29 de março de 2010

A VERDADEIRA PÁSCOA!


A Verdadeira Páscoa





Se eu deixasse algum presente a você, deixaria aceso o sentimento de amar a vida e os seres humanos.


A consciência de aprender tudo o que foi ensinado pelo tempo afora.


Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem.


Deixaria para você, o respeito àquilo que é indispensável:


Além do pão; o trabalho.


Além do trabalho; a ação.


E quando tudo mais faltasse, um segredo: o de buscar no interior de si mesmo a resposta e a força para encontrar a saída.


Gandhi

domingo, 28 de março de 2010

UMA FORMIGA ME LEVOU À ORAR!



"Uma formiga me levou a orar!



Outro dia,
vi uma formiga que carregava uma
enorme folha.


A formiga era pequena e a folha devia ter, no mínimo, dez vezes o tamanho dela.


A formiga a carregava com sacrifício.


Ora a arrastava,
ora a tinha sobre a cabeça.


Quando o vento batia, a folha tombava,
fazendo cair também à formiga.


Foram muitos os tropeços,
mas nem por isso a formiga desanimou
de sua tarefa.


Eu a observei e acompanhei,
até que chegou próximo de um buraco,
que devia ser a porta de sua casa.


Foi quando pensei:


- "Até que enfim ela terminou
seu empreendimento".- Ilusão minha.


Na verdade,
havia apenas terminado uma etapa.


A folha era muito maior do que a boca
do buraco,
o que fez com que a formiga a deixasse
do lado de fora para,
então, entrar sozinha.


Foi aí que disse a mim mesmo:


-"Coitada, tanto sacrifício para nada."


Lembrei-me ainda do ditado popular:


"Nadou, nadou e morreu na praia."


Mas a pequena formiga me surpreendeu...




Do buraco saíram outras formigas,
que começaram a cortar a folha
em pequenos pedaços.


Elas pareciam alegres na tarefa.


Em pouco tempo,
a grande folha havia desaparecido,
dando lugar a pequenos pedaços
e eles estavam todos dentro do buraco.


Imediatamente me peguei
pensando em minhas experiências.


Quantas vezes desanimei diante do
tamanho das tarefas ou dificuldades?


Talvez, se a formiga tivesse olhado
para o tamanho da folha,
nem mesmo teria começado a carregá-la.


Invejei a persistência,
a força daquela formiguinha.


Naturalmente,
transformei minha reflexão em oração
e pedi ao Senhor:


Que me desse à tenacidade daquela formiga, para "carregar" as dificuldades do dia-a-dia.


Que me desse à perseverança da formiga, para não desanimar diante das quedas.

Que eu pudesse ter a inteligência,
a esperteza dela,
para dividir em pedaços o fardo que,
às vezes,
se apresenta grande demais.


Que eu tivesse a humildade para partilhar com os outros o êxito da chegada, mesmo que o trajeto tivesse sido solitário.


Pedi ao Senhor a graça de,
como aquela formiga,
não desistir da caminhada,
mesmo quando os ventos contrários me
fazem virar de cabeça para baixo;
mesmo quando,
pelo tamanho da carga,
não consigo ver com nitidez
o caminho a percorrer.


A alegria dos filhotes que, provavelmente, esperavam lá dentro pelo alimento, fez aquela formiga esquecer e superar todas as adversidades da estrada.

Após meu encontro com aquela formiga,
saí mais fortalecido em minha caminhada.


Agradeci ao Senhor por ter colocado aquela formiga em meu caminho ou por me ter feito passar pelo caminho dela!"


Sonhos não morrem,
apenas adormecem na alma da gente."


(Recebi sem autoria)

terça-feira, 23 de março de 2010

SIMPLESMENTE A PAZ!


Simplesmente a Paz



A paz no mundo começa dentro de mim quando me aceito, de corpo e alma e reconheço meus limites com paciência e calma.


E em vez de me fragmentar em mil pedaços eu me coloco inteiro no que penso, sinto e faço... passageiro no tempo e no espaço!


Sem nada para levar que possa me prender. Sem medo de errar e com muita vontade de aprender.


A paz no mundo começa entre nós, quando eu aceito o teu modo de ser... Sem me opor ou resistir e reconheço tuas virtudes, sem te invejar... ou me retrair! E faço das nossas diferenças a base de nossa convivência.


E, em lugar de te dividir em mil personagens... consigo ver-te inteiro... despido... real...


Sem nenhuma maquiagem... companheiros da mesma viagem,no processo de aprendizagem do que é ser gente!


A paz no mundo começa quando as palavras se calam e os gestos se multiplicam...


Quando se reprime a vergonha e se expressa a ternura!


Quando se transmuta a doença... e se enaltece a cura!


Quando se combate a normalidade que virou loucura!

E se estimula o desejo de melhorar a humanidade... de construir uma outra sociedade,com base numa outra relação... em que amar é a regra... e não mais a exceção!!!
(Recebi esse texto por e-mail e resolvi compartilhar com voces. É de um autor desconhecido)

domingo, 14 de março de 2010

BOAS VIBRAÇÔES


Amanheça com o sabor da alegria.



Deslumbre um dia radioso e feliz.

Procure os lugares onde os sons tragam para dentro de você o esplendor de estar vivo.


Tenha nas tuas leituras o encontro perfeito da tua mente e de tua alma.


Não apague tuas derrotas com rancor ou desânimo,

elas proporcionam vitórias verdadeiras,
sem manchas em outros corações.


Dirija-se sempre na cautela de não passar por cima de nada que não te pertença, só assim não pisarás no que é teu de verdade.

Tuas conquistas serão sempre tuas, mas teus dissabores terão outros participantes e com certeza irás responder por isso, caso não tenhas ainda um pouco de bem querer dentro de ti.
(Afonso)

segunda-feira, 8 de março de 2010

Amor na visão de Chico Xavier




Vida

É o amor existencial.

Razão

É o amor que pondera.

Estudo

É o amor que analisa.

Ciência

É o amor que investiga.

Filosofia

É o amor que pensa.

Religião

É o amor que busca a Deus.

Verdade

É o amor que eterniza.

Ideal

É o amor que se eleva.


É o amor que transcende.

Esperança

É o amor que sonha.

Caridade

É o amor que auxilia.

Fraternidade

É o amor que se expande.

Sacrifício

É o amor que se esforça.

Renúncia

É o amor que depura.

Simpatia

É o amor que sorri.

Trabalho

É o amor que constrói.

Indiferença

É o amor que se esconde.

Desespero

É o amor que se desgoverna.

Paixão

É o amor que se desequilibra.

Ciúme

É o amor que se desvaira.

Orgulho

É o amor que enlouquece.

Sensualismo

É o amor que se envenena.

Finalmente

O ódio, que julgas ser a antítese do amor, não é senão o próprio amor que adoeceu gravemente.


Francisco Candido Xavier

COMPARTILHE SEU AMOR...

Quantos vivem toda a vida sem descobrir o que sabem e amam?



Tantos.


Não ser um desses é essa a tua missão.




Richard Bach

terça-feira, 2 de março de 2010

NOSSOS PENSAMENTOS...


“Todo pensamento emitido é uma vibração incessante voando por uma trajetória através do Universo para trazer de volta exatamente o que foi enviado. Podemos controlar as vibrações que emanam de nós e, desse modo, podemos controlar nosso destino. Por conseguinte, a ciência e a religião podem finalmente dar as mãos e entrar juntas nos reinos espirituais de progresso e felicidade”.



Annalee Skarin

segunda-feira, 1 de março de 2010

PAULO E ESTEVÃO


Prece de impressionante a beleza que Abigail fez na agonia e morte de seu pai Jochedeb e, depois, de seu irmão Estêvão ("Paulo e Estêvão", págs. 42 e 162), beleza que advém não só da poesia, mas da elevação e robustez de sentimentos de que a prece se reveste:



"Senhor Deus, pai dos que choram,


Dos tristes, dos oprimidos


Fortaleza dos vencidos,


Consolo de toda a dor,


Embora a miséria amarga


Dos prantos de nosso erro,


Deste mundo de desterro,


Clamamos por vosso amor!


Nas aflições do caminho,


Na noite mais tormentosa


Vossa fonte generosa


É o bem que não secará...


Sois, em tudo, a luz eterna


Da alegria e da bonança


Nossa porta de esperança


Que nunca se fechará.


Quando tudo nos despreza


No mundo da iniqüidade,


Quando vem a tempestade


Sobre as flores da ilusão!


Ó Pai, sois a luz divina,


O cântico da certeza,


Vencendo toda aspereza,


Vencendo toda aflição.


No dia da nossa morte,


No abandono ou no tormento,


Trazei-nos o esquecimento


Da sombra, da dor, do mal!


Que nos últimos instantes,


Sintamos a luz da vida


Renovada e redimida


Na paz ditosa e imortal".


Para quem ainda não leu o livro “Paulo e Estêvão”, de Emmanuel, lembramos que Abigail, irmã de Estêvão, estava praticamente noiva de Saulo de Tarso quando assistiu o querido irmão nos derradeiros momentos de sua existência, após o apedrejamento que o levou à morte. O fato ocasionou o rompimento da relação com Saulo, que mais tarde teria seu nome inscrito na história do Cristianismo como Paulo de Tarso, o Apóstolo dos Gentios.
(Colaboração do Irmão Hugo Salema, Presidente de Honra da FILV)